Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/6030
metadata.dc.type: Dissertação
Title: A carne mais barata do mercado é a (jovem) negra: percursos de (necro)políticas no Brasil
Other Titles: The cheapest meat of the market is the (young) black: pathways of (necro) policies in Brazil
metadata.dc.creator: Braga Netto, Tathina Lucio
metadata.dc.contributor.advisor1: Hüning, Simone Maria
metadata.dc.contributor.referee1: Scisleski, Andrea Cristina Coelho
metadata.dc.contributor.referee2: Nascimento, Emerson Oliveira do
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa trata sobre a captura do acontecimento de mortes de jovens negras(os) no cenário brasileiro pelo poder estatal que insere essa população como pauta na agenda política do país como alvo de proteção contra violências. A partir das contribuições da arquegenealogia foucaultiana lançamos mão de um olhar sobre Estado e governo, através das concepções de biopoder e biopolíticas, que nos levou a uma postura de estranhamento dessa nova preocupação estatal. Esses apontamentos nos direcionaram a problematizar, a partir da análise de documentos, as condições de verdade que edificaram a juventude negra como alvo de políticas públicas. Para realizar esse estudo selecionamos nove documentos que surgiram a partir de nossos objetivos, em que pesquisamos em site de buscas documentos com as palavras-chave: políticas públicas para a juventude negra e Juventude Viva; como também partimos dos saberes/referenciais que embasaram o Plano Juventude Viva. Para realizar nossas análises seguimos alguns questionamentos norteadores: que condições de possibilidade tornaram a violência contra a juventude negra um problema de Estado? Que tensionamentos tornaram possíveis as políticas públicas preventivas para a violência contra esses jovens? Como se edifica o saber-poder que captura as mortes dessa juventude como problema de Estado? Essas questões nos direcionaram a algumas considerações: a resistência do movimento negro como elemento fundante para o encaminhamento a políticas públicas preventivas de violência para a juventude negra; os dados estatísticos como disparadores da discussão da mortalidade de jovens negras (os), mas também como produtor de opacidade dessa população; os órgãos internacionais como principais motivadores para a construção de políticas públicas no país. Realizamos nossas análises a partir das conceitualizações de Bio/Tanato/Necropolítica, problematizando como em nosso país há uma política não só de gerenciar vidas, mas de fazer morrer. Desse modo, a política pública Juventude Viva funciona como um instrumento de inclusão na exclusão, devido a sua formulação descontextualizada e estrutura deficitária, funcionando como um modo de operar vidas marginalizadas.
Abstract: This research deals with the event of the capture of black young‟s deaths in the brazilian scenario by the State power that inserts this population in the political agenda. From contributions of Foucault's archegenealogy, we study State and government, through the conceptions of biopower and biopolitics that led us to a posture of mistrust about the new state concern. These notes directed us to problematize, from the analysis of documents, the conditions of truth that built the black youth as the target of public policies. To carry out this study, we selected nine documents that emerged from our objectives, in which we searched the search engines for documents with the key words: public policies for black youth and Juventude Viva; but we also start from the knowledge / references that underpinned Juventude Viva Plan. To build our analyzes, we followed some guiding questions: what conditions of possibility have made violence against black youth a State problem? What tensions have made possible the preventive public policies for violence against these young people? How does the knowledge-power that captures the deaths of this youth as a state problem build? These questions led us to some considerations: the resistance of the black movement as a founding element for the referral to preventive public policies of violence for black youth; the statistical data as triggers of the discussion of young blacks‟ mortality, but also as producer of opacity of this population; international bodies as the main motivators for the construction of public policies in the country. We carry out our analyzes based on the conceptualizations of Bio / Tanato / Necropolítica, problematizing how in our country there is a policy not only to manage lives, but to make them die. Thus, the Juventude Viva public policy functions as an instrument of inclusion in the exclusion, due to its decontextualized formulation and deficit structure, functioning as a way of operating marginalized lives
Keywords: Jovens negras(os) - Brasil
Bio/Tanato/Necropolítica
Violência
Young blacks - Brazil
Bio/Tanato/Necropolices
Violence
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: BRAGA NETTO, Tathina Lucio. A carne mais barata do mercado é a (jovem) negra: percursos de (necro)políticas no Brasil. 2019. 81 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/6030
Issue Date: 23-Mar-2018
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IP



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.