00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) FALE - FACULDADE DE LETRAS Dissertações e Teses defendidas na UFAL - FALE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/470
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisor1Araujo, Vera Lúcia Romariz Correia de
dc.contributor.advisor1LattesARAÚJO, Vera Lúcia Romariz Correiapor
dc.contributor.referee1Cavalcanti, Ildney de Fátima Souza
dc.contributor.referee1LattesCAVALCANTI, I. F. S.por
dc.contributor.referee2Souza, Francisca Zuleide Duarte de
dc.contributor.referee2LattesSOUZA, F. Z. D.por
dc.creatorXavier, Antônio José Rodrigues
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/3290395764373722por
dc.date.accessioned2015-08-25T18:29:45Z-
dc.date.available2011-01-07
dc.date.available2015-08-25T18:29:45Z-
dc.date.issued2006-10-23
dc.identifier.citationXAVIER, Antônio José Rodrigues. Muses and flies in the poetry of Lucy Brandao: counterculture, dissonant tension and cultural hybridity.. 2006. 229 f. Dissertação (Mestrado em Linguística; Literatura Brasileira) - Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2006.por
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufal.br/handle/riufal/470-
dc.description.abstractABSTRACT Lucy Brandão s poetry, produced among the 70s, 80s and 90s of the 20th century, is characterized as a happening of the modern Alagoana Literature, by its expansionist, emancipative, renewable and democratic movement, in Néstor Garcia Canclini s sense (2003). Her poetry is borne on a negative and dissonant lyricism that has been already studied by Hugo Friedrich (1978). She performed her urban repentes and produced hybrid objects of art by mixing several languages and using a dense relation with ethics and aesthetics of existence, rare in her time. By the way, she joined the big refusal called counterculture in the occidental world, in a vanguard behaviour with the forefront of the post-60 maceioense artists that nourished themselves with the utopian reserves from the 19th century and the beginning of the 20th century. Her voice registers, in the urban maceioense country, a singular aesthetic happening that promoted a transcultural trance in the traditional and the beat generation up-todating.eng
dc.formatapplication/pdfpor
dc.languageporpor
dc.publisherUniversidade Federal de Alagoaspor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.departmentLinguística; Literatura Brasileirapor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Letras e Linguísticapor
dc.publisher.initialsUFALpor
dc.rightsAcesso Abertopor
dc.subjectCountercultureeng
dc.subjectCultural hybridismeng
dc.subjectBrazilian underground poetryeng
dc.subjectRepenteseng
dc.subjectAlagoana Literatureeng
dc.subjectContraculturapor
dc.subjectHibridismo culturalpor
dc.subjectPoesia marginalpor
dc.subjectRepentespor
dc.subjectLiteratura alagoanapor
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LITERATURA BRASILEIRApor
dc.titleMusas e moscas na produção poética de Lucy Brandão : contracultura, tensão dissonante e hibridismo cultural.por
dc.title.alternativeMuses and flies in the poetry of Lucy Brandao: counterculture, dissonant tension and cultural hybridity.eng
dc.typeDissertaçãopor
dc.description.resumoA poesia de Lucy Brandão, produzida entre as décadas de 70, 80 e 90, caracteriza-se como evento da modernidade alagoana, por seu movimento expansionista, emancipador, renovador e democratizador, na acepção de Néstor Garcia Canclini (2003). Portadora de uma negatividade lírica dissonante, já estudada por Hugo Friedrich (1978), fazendo uso de várias linguagens, Lucy Brandão performatizava seus repentes urbanos e produzia outros objetos artísticos híbridos em uma relação visceral com uma ética e estética da existência, rara em seu tempo. Nessa perspectiva, torna-se adepta da grande recusa que foi o movimento da contracultura no mundo ocidental, em uma atitude de vanguarda, integrando uma frente de artistas maceioenses pós-60 que se nutriu de reservas utópicas advindas do século XIX e início do século XX. Sua voz registra, no espaço urbano maceioense, um acontecimento estético singular que coloca em transe transculturador a atualização da tradição e da ruptura.por
Aparece nas coleções:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - FALE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertacao_AntonioJoseRodriguesXavier_2006.pdf2.29 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.