00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) ICS - INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/5818
Tipo: Dissertação
Título: “Eu sou alagoano, aonde o Guerreiro mora” : uma etnografia sobre o compartilhamento de fotografias de Guerreiro do arquivo etnográfico de Théo Brandão
Título(s) alternativo(s): "Yo soy alagoano, donde vive el guerrero": uma etnografía a cerca del compartir de el grafias de guerreros el archivo etnográfico de Théo Brandão
Autor(es): Souza, Iara Ferreira de
Primeiro Orientador: Rechenberg, Fernanda
metadata.dc.contributor.referee1: Mendonça, João Martinho Braga de
metadata.dc.contributor.referee2: Rodrigues, Rafael de Oliveira
Resumo: Esta dissertação investiga os desdobramentos do compartilhamento de fotografias de Guerreiro, patrimônio imaterial alagoano, com três brincantes de Guerreiros ativos em Maceió/AL: Dona Marlene, Dona Dolores e Senhor Lourenço. A ação foi fruto do projeto “Memória e Fotografia no Folclore Alagoano: da Preservação ao Compartilhamento de Imagens”, coordenado pela professora Fernanda Rechenberg. A pesquisa de campo foi realizada entre outubro de 2017 e outubro de 2018 e abrange: a) investigação no arquivo etnográfico de Théo Brandão, salvaguardado pelo Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore, traçando o “sistema material” em que as imagens do Guerreiro de João Amado estão envolvidas; b) observação participante nos ensaios e nas apresentações dos Guerreiros São Pedro Alagoano e Vencedor Alagoano; c) a entrevista com os brincantes e o compartilhamento das fotografias do arquivo etnográfico, utilizadas para “fazer o interlocutor falar”. Por um longo período, os museus foram o espaço onde pesquisadores expuseram os objetos de grupos socialmente minoritários, com a crítica pós-colonial, tais representações passaram a ser questionadas. Como reposta a essas análises e críticas, surgiram, nos museus, ações que visam a ressignificação das coleções por meio da participação de grupos historicamente silenciados. Nesse sentido, há o entendimento de que as memórias de Dona Marlene, Dona Dolores e Senhor Lourenço ressignificaram as fotografias do arquivo etnográfico de Théo Brandão.
Abstract: This dissertation investigates the sharing of photos of “Guerreiro”, an immaterial patrimony of Alagoas, with three “brincantes” of active Guerreiros in Maceió/AL; they are Mrs. Marlene, Mrs. Dolores and Mr. Lourenço. This initiative is part of the project "Memory and Photography in Alagoano Folklore: from Preservation to Image Sharing", coordinated by Professor Fernanda Rechenberg. The field research occurred between 2017 and 2018. The investigation includes: a) the research on the ethnographic archive of Théo Brandão trancing his “material system” b) the participant observation at the rehearsals and presentations of the “Guerreiros São Pedro Alagoano and Vencedor Alagoano”. I also interviewed Mrs. Marlene, Mrs. Dolores and Mr. Lourenço and used the photographs to "make them speak" (the photo-elicitation method). For many years, museums were the space where researchers made expositions about socially minority groups, but these representations went through revisions after the postcolonial critique. As a response to these analyzes and criticisms museums started to re-signify collections through groups historically silenced, making them participate of shared curatorship, for example. Therefore, the memories of Mrs. Marlene, Mrs. Dolores and Mr. Lourenço re-signified the photographs of the ethnographic archive of Théo Brandão.
Palavras-chave: Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore
Guerreiro (Folguedo folclórico) - Alagoas
Fotografia na etnologia
Memória coletiva
Theo Brandão Museum of Anthropology and Folklore
Guerreiro (Folguedo Folkloric) – Alagoas
Photography in ethnology
Collective memory
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Alagoas
Sigla da Instituição: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social
Citação: SOUZA, Iara Ferreira de“Eu sou alagoano, aonde o Guerreiro mora” : uma etnografia sobre o compartilhamento de fotografias de Guerreiro do arquivo etnográfico de Théo Brandão. 2019. 171 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2019.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/5818
Data do documento: 10-Mai-2019
Aparece nas coleções:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.