00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) IGDEMA - INSTITUTO DE GEOGRAFIA, DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IGDEMA
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/5199
Tipo: Dissertação
Título: Indústria têxtil no nordeste: a experiência de Alagoas e Sergipe
Título(s) alternativo(s): Textile industry in the Northeast: the experience of Alagoas and Sergipe
Autor(es): Silva, Bruno Bianchi Gonçalves da
Primeiro Orientador: Corrêa , Domingos Sávio
metadata.dc.contributor.referee1: Marisco , Luciane Maranha de Oliveira
metadata.dc.contributor.referee2: Bastos, José Messias
Resumo: Trata da evolução da indústria têxtil nos estados de Alagoas e Sergipe, destacando suas dissensões nas décadas mais recentes, atrelada as influências do movimento setorial em diversas escalas (regional, nacional e global). A pesquisa está ancorada no referencial teórico de Milton Santos com a formação socioespacial, Ignácio Rangel através das dualidades da economia brasileira e nas combinações geográficas de André Cholley, presentes no decorrer dos três capítulos. A trajetória têxtil nos referidos estados, está em consonância com o quadro setorial-regional até os anos 1950, marcado pelos monopólios regionais das fábricas têxteis, aproveitando a baixa integração comercial do território brasileiro. Já após 1950 registra-se o declínio de algumas fábricas tradicionais ao passo que os estados de Pernambuco e Ceará aproveitam melhor o deslocamento inter-regional de unidades produtivas, sob a inauguração dos incentivos regionais promovidos pela Sudene. Por fim, com o mais recente deslocamento produtivo têxtil, de maior influência mundial, devido a abertura comercial nos anos 1990, Alagoas e Sergipe com trajetórias até então semelhantes no setor, torna-se notável diferenças a partir dos anos 2000. Quando Sergipe aproveitando a existência de um parque têxtil que conseguiu atravessar sucessivas crises atrai novas unidades produtivas do Sul e Sudeste. Ressalta-se no decorrer da pesquisa que o deslocamento da produção se deu apenas nas etapas produtivas mais intensivas em mão de obra. As estratégias de deslocamento da produção das empresas têxteis foram marcadas não apenas por fatores externos, como também, por fatores internos, os quais se destacam a mudança do centro produtivo nacional de algodão nos anos 1990, diferenças no custo da mão de obra, mercado consumidor e localização geográfica favorável.
Abstract: It deals with the evolution of the textile industry in the states of Alagoas and Sergipe, highlighting its dissensions in recent decades, tied to the influences of the sectoral movement at various scales (regional, national and global). The research is anchored in the theoretical reference of Milton Santos with the socio-spatial formation, Ignacio Rangel through the dualities of the brazilian economy and in the geographical combinations of André Cholley present in the course of the three chapters. The textile trajectory in these states is in line with the sectoral-regional framework until the 1950s, marked by the regional monopolies of the textile factories, taking advantage of the low commercial integration of the Brazilian territory. The 1950s saw the decline of some traditional factories, while the states of Pernambuco and Ceará made better use of the interregional displacement of production units under the inauguration of the regional incentives promoted by Sudene. Finally, with the most recent textile production displacement, with a greater influence in the world, due to the commercial opening in the 1990s, Alagoas and Sergipe, with similar trajectories in the sector, differences became evident from the 2000s. When Sergipe took advantage of the existence of a textile park that has managed to cross successive crises attracts new productive units of the South and Southeast. It is emphasized in the course of the research that the displacement of production occurred only in the most labor-intensive production stages. The strategies of production displacement of textile companies were marked not only by external factors, but also by internal factors, such as the change of the national cotton production center in the 1990s, differences in the cost of labor, the consumer market and favorable geographical location.
Palavras-chave: Geografia econômica
Indústria têxtil – Brasil, Nordeste
Indústria têxtil – Modernização
Algodão
Indústria têxtil – Sergipe
Indústria têxtil – Alagoas
Economic Geography
Textile industry - Brazil, Northeast
Textile industry – Modernization
Cotton
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIA::GEOGRAFIA HUMANA::GEOGRAFIA ECONOMICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Alagoas
Sigla da Instituição: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Geografia
Citação: SILVA, Bruno Bianchi Gonçalves da. Indústria têxtil no nordeste: a experiência de Alagoas e Sergipe. 2019. 184 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente , Programa de Pós Graduação em Geografia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2019.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/5199
Data do documento: 19-Mar-2019
Aparece nas coleções:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IGDEMA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Indústria têxtil no Nordeste-a experiência de Alagoas e Sergipe.pdf5.91 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.