00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) ICS - INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/4833
Tipo: Dissertação
Título: Ritual e performance feminina na Aldeia dos Orixás
Autor(es): Silva, Rosileide da
Primeiro Orientador: Martins, Sílvia Aguiar Carneiro
metadata.dc.contributor.advisor-co1: Botelho, Denise Maria
metadata.dc.contributor.referee1: Barros, Rachel Rocha de Almeida
metadata.dc.contributor.referee2: Santos, Ana Cristina Conceição
Resumo: A presente pesquisa propõe uma análise das inter-relações entre o feminino e a Umbanda, a partir de suas performances e práticas rituais, dentro do Terreiro Aldeia dos Orixás em Maceió/AL, do qual sou adepta desde 2011. Existe uma lacuna na produção acadêmica sobre a presença da mulher na Umbanda em Alagoas. Alguns estudos existentes no Estado sobre as mulheres nas religiões afro-brasileiras, tendem a enfatizar papéis e reproduzir estereótipos como por exemplo a mãe, a protetora, ou ainda a sedutora, sensual, perigosa, etc. Nesse sentido, busco investigar a realidade dos sujeitos em seu espaço ritual a partir da prática de campo, evocando os sentidos e significados destas e os contextos religiosos nos quais a mulher está inserida, para ilustrar a construção da alteridade dos sujeitos aqui pesquisados. As religiões afro-brasileiras se transformaram em espaços de resistência, preservação, empoderamento e libertação da mulher negra, por meio do conhecimento, constituído e incorporado, valorizando o arcabouço de saberes de cada uma delas, enquanto repertório para a formação da comunidade, respeitando os conhecimentos ancestrais. A Antropologia da Performance e Ritual, Antropologia Visual e Antropologia Feminista compõem os principais referenciais teórico-metodológicos para analisar o protagonismo feminino observado por Ruth Landes (2002) nos terreiros de Candomblé em Salvador, do conceito de ritual de Victor Turner (2013), e ainda dos conceitos de arquivo e repertório de Diana Taylor (2013), no desenvolvimento da pesquisa sobre ritual e performance feminina abordando a presença e a importância da mulher nos rituais praticados e na sua elaboração; e como elas se veem como mulheres e umbandistas independente dos estereótipos atribuídos. Serão utilizados como recursos metodológicos, a Fotoetnografia com a finalidade de capturar as imagens necessárias a fim de contextualizar o meu campo de estudo. Nesse contexto, foram utilizados autores, como: Sylvia Caiuby Novaes (2005, 2017), André Alves (2004), Neusa Rolita Cavedon (2005), Boris Kossoy (1996) e Julice Salvagni (2013); e a Autoetnografia que juntas serão interfaces para uma melhor compreensão dos sujeitos. Para tanto, utilizarei Turner (1988) e Schechner (1988), para analisar os rituais e performances inseridos no contexto de práticas na Aldeia dos Orixás. Na Autoetnografia, é importante registrar que atuo na pesquisa de campo em papéis que se diferenciam intrinsecamente em dois campos que considero complementares: sou cambona e pesquisadora, o que reflete diretamente na minha relação com os (as) demais adeptos (as) do terreiro. Grande parte das bibliografias sobre religiões afro-brasileiras, e as mulheres que as compõem, foram produzidas “de fora” “para dentro” (MAGNANI, 2002). É necessário que esse olhar, e esse conhecimento, se determine de dentro para a fora, e que as mulheres falem de si mesmas, que construam sua subjetividade a partir de seu lugar de fala.
Abstract: The present research proposes an analysis of the interrelations between the feminine and the Umbanda, from their performances and ritual practices, within the Terreiro Aldeia dos Orixás in Maceió / AL, of which I have been adept since 2011. There is a gap in academic production on the presence of women in Umbanda in Alagoas. Some studies in the State on women in Afro-Brazilian religions tend to emphasize roles and reproduce stereotypes such as the mother, the protector, or the seductive, sensual, dangerous, etc. In this sense, I seek to investigate the reality of the subjects in their ritual space from the field practice, evoking the meanings and meanings of these and the religious contexts in which the woman is inserted, to illustrate the construction of the otherness of the the subjects searched here. Afro-Brazilian religions became spaces of resistance, preservation, empowerment and liberation of black women, through knowledge, constituted and incorporated, valuing the knowledge framework of each one of them, as a repertoire for the formation of the community, respecting the ancestral knowledge. The Anthropology of Performance and Ritual, Visual Anthropology and Feminist Anthropology compose the main theoretical-methodological references to analyze the female protagonism observed by Ruth Landes (2002) in the candomblé terreiros in Salvador, the ritual concept of Victor Turner (2013), and still from the archival and repertory concepts of Diana Taylor (2013), in the development of the research on ritual and female performance addressing the presence and importance of women in the rituals practiced and in their elaboration; and how they see themselves as women and Umbandists regardless of the stereotypes attributed. Photoetnography will be used as methodological resources in order to capture the necessary images in order to contextualize my field of study. In this context, authors such as: Sylvia Caiuby Novaes (2005, 2017), André Alves (2004), Neusa Rolita Cavedon (2005), Boris Kossoy (1996) and Julice Salvagni (2013); and Autoethnography that together will be interfaces for a better understanding of the subjects. To do so, I will use Turner (1988) and Schechner (1988) to analyze the rituals and performances inserted in the context of practices in the Orixás Village. In Autoetnography, it is important to record that I work in the field research in roles that differ intrinsically in two fields that I consider complementary: I am cambona and researcher, which directly reflects on my relationship with the other adepts of the terreiro. Most of the bibliographies on Afro-Brazilian religions, and the women who compose them, were produced "from the outside" "inside" (MAGNANI, 2002). It is necessary that this look, and this knowledge, be determined from the inside out, and that women speak of themselves, that they construct their subjectivity from their place of speech.
Palavras-chave: Umbanda - Rituais
Antropologia da performance
Antropologia visual
Antropologia feminista
Terreiro Aldeia dos Orixás (Maceió, AL)
Rituals
Performance Anthropology
Visual Anthropology
Feminist Anthropology
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Alagoas
Sigla da Instituição: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social
Citação: SILVA, Rosileide da. Ritual e performance feminina na Aldeia dos Orixás. 2018. 149 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/4833
Data do documento: 18-Dez-2018
Aparece nas coleções:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Ritual e performance feminina na Aldeia dos Orixás.pdf3.81 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.