Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3542
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O imperativo masculino em assentamento do MST: uma relação de poder e dominação simbólica
Other Titles: The imperative in settlement of male MST: a relation symbolic Power and domination
metadata.dc.creator: Moura, Erik Marcelo de
metadata.dc.contributor.advisor1: Candeias, Cezar Nonato Bezerra
metadata.dc.contributor.referee1: Ferreira, Ruth Vasconcelos Lopes
metadata.dc.contributor.referee2: Medeiros, Rogério de Souza
metadata.dc.description.resumo: Esta pesquisa tem como objetivo identificar como vem se desenvolvendo as desigualdades de gênero a partir da análise das relações de poder em assentamentos do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e a constituição sócio-cultural da dominação simbólica masculina, através da observação da relação entre estrutura e ação na produção e/ou reprodução do habitus dentro do campo social. Para isso, trabalhamos com categorias conceituais nas áreas de relações de poder, empoderamento, patriarcalismo e dominação simbólica. Dessa forma, direcionamos nossa pesquisa para alguns setores que consideramos capitais no estabelecimento das desigualdades de gênero em assentamentos do MST, como o campo da produção de trabalho, a relação entre o público e o privado, direitos e oportunidades, dentre outros. A presente dissertação foi desenvolvida metodologicamente tendo como pano de fundo a busca pela mediação entre as duas dimensões basilares da dinâmica social: o agente social e a estrutura. Por isso pautamos a nossa pesquisa em Bourdieu, o qual considera o problema dos métodos epistemológicos como uma discussão que oscila entre os dois tipos de conhecimentos complementares e relacionais: o objetivismo (estruturas sociais e estruturas simbólicas) e a fenomenologia (subjetivismo). Pois, respectivamente, enquanto um constrói as relações objetivas que estruturam as práticas dos agentes sociais, o outro incide da experiência primeira do indivíduo. A esse tipo de abordagem epistemológica Bourdieu chama de conhecimento praxiológico, ou seja, um conhecimento que busque romper com a dicotomia entre o agente social e a estrutura social, buscando articular ambos dialeticamente. Dessa maneira a teoria aparece combinada a aspectos históricos, bem como aos dados coletados para uma maior compreensão da realidade junto à questão de gênero em assentamentos do MST.
Abstract: This research has the objective of identifying the development of gender inequality through the analysis of the power relations in MST (Movement of Landless Rural Workers) settlements and male social-cultural constitution of symbolic male domination, through the observation of the relation between the structure and action in the production and/or reproduction of the habitus inside the social field. To accomplish this, I worked with conceptual categories in the fields of relations of power, empowerment, patriarchy and symbolic domination. This way, I directed my research to some sectors that I considered to be capital in the establishment of the gender inequality in MST settlements, as the labor field of production, the relation between the public and the private, rights and opportunities, among others. This dissertation was methodologically developed relied on the search for the mediation between the two base dimensions of social dynamics: the social agent and the structure. Due to this fact, I relied my research on Bourdieu who considers the problems of epistemological methods to be a discussion that oscillates between two types of complementary and relational knowledge: objectivism (social and symbolic structure) and phenomenology (subjectivism). Respectively, whereas one builds the object relation that structure the social agent’s practices, the other falls upon the individual’s first experience. Bourdieu defines this type of epistemological approach as praxeological knowledge, i.e., a knowledge that seeks to break with the dichotomy between the social agent and the social structure, trying to articulate both dialectally. This way, the theory is combined to historic aspects as well as the data collected for a better comprehension of reality together with the issue of gender in MST setlements.
Keywords: Movimentos sociais – Gênero
Poder (Ciências Sociais)
Dominação (Ciências Sociais)
Social Movements – Gender
Power (Social Sciences)
Domination (Social Sciences)
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Sociologia
Citation: MOURA, Erik Marcelo de. O imperativo masculino em assentamento do MST: uma relação de poder e dominação simbólica. 2011. 120 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3542
Issue Date: 29-Apr-2011
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O imperativo masculino em assentamento do MST uma relação de poder e dominação simbólica.pdfO imperativo masculino em assentamento do MST: uma relação de poder e dominação simbólica1,58 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.