Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3158
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Solidão e reinvenção: a experiência da maternidade após a separação conjugal
Other Titles: Solitude and reinvention: the experience of motherhood after marital separation
metadata.dc.creator: Pereira, Valéria Brandão
metadata.dc.contributor.advisor1: Leitão, Heliane de Almeida Lins
metadata.dc.contributor.referee1: Stadtler, Hulda Helena Coraciara
metadata.dc.contributor.referee2: Zanotti, Susane Vasconcelos
metadata.dc.description.resumo: Este trabalho busca analisar e compreender a experiência da maternidade para mães separadas que residem com seus filhos. Justifica-se pelo número crescente de separações conjugais na atualidade, as quais implicam na reorganização da família e no desenvolvimento de novas formas de parentalidade. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que utilizou entrevistas semiestruturadas como meio de conhecer e compreender as vivências pessoais das mães entrevistadas. De forma específica, o estudo pretendeu: a) apreender como mães separadas percebem o exercício da maternidade após a separação conjugal; b) conhecer, a partir do relato das mães, a relação entre mães e filhos após a separação conjugal; c) investigar, a partir do relato das mães, a relação da mãe separada com seu ex-companheiro, considerando a permanência do laço parental entre eles. A pesquisa tomou como fundamentação os estudos sobre família, apoiando-se também no aporte teórico de Donald W. Winnicott, o qual permite pensar a maternidade como um processo psicossocial, indissociável do ambiente relacional e sociocultural no qual as mulheres estão inseridas. As 6 participantes da pesquisa encontravam-se na faixa etária entre 25 e 37 anos, com escolaridade variando entre ensino médio e superior completo. As mães estavam separadas há menos de 5 anos, tinham entre 1 e 2 filhos, os quais apresentavam idades entre 1 e 13 anos. A metade das participantes era a principal provedora da família, enquanto as outras declararam ser dependentes financeiramente de suas famílias de origem. Os resultados mostram que a separação conjugal é uma experiência complexa que afeta o exercício da maternidade, produzindo sofrimento e vulnerabilidade, assim como possibilidades de desenvolvimento emocional. Solidão e liberdade impulsionaram essas mulheres para maiores responsabilidades, dedicação e apego aos filhos, buscando autonomia pessoal. Observou-se que as mães, frequentemente, contam com uma rede de apoio constituída por familiares, amigos ou vizinhos, atuando como importante suporte financeiro, emocional e compartilhamento do cuidado com os filhos. O estudo sugere a ampliação das possibilidades de holding do ambiente psicossocial, através de políticas e programas de assistência que ofereçam suporte às mães, especialmente as menos escolarizadas e mais pobres. Destaca-se a necessidade de outros estudos sobre o assunto, possibilitando compreender mais a fundo os impactos da separação conjugal na experiência de pais, mães e filhos nesse contexto.
Abstract: This work aims to analyze and understand the experience of maternity for separated mothers who live with their children. It is justified by the increasing number of conjugal separations in the present, which imply in the reorganization of the family and in the development of new forms of parenthood. This is a qualitative research, which used semi-structured interviews as a means of knowing and understanding the personal experiences of the mothers interviewed. Specifically, this study aimed: a) to learn how separated mothers perceive the exercise of motherhood after marital separation; b) to know, from the mothers' report, the relationship between mothers and children after the marital separation; c) to investigate, from the mothers' report, the relationship between separated mother and her ex-partner, considering the permanence of the parental bond between them. The research was based on family studies, as well as on the theoretical contribution of Donald W. Winnicott, which allows thinking the motherhood as a psychosocial process, inseparable from the relational and sociocultural environment in which women are inserted. The 6 participants were found in the age group from 25 to 37 years old, with school level between high school and university. The mothers were separated for less than 5 years, with 1 or 2 children, who had ages between 1 and 13 years. Half of the participants were the main provider of the family, while the others stated that they were financially dependent on their families of origin. The results show that marital separation is a complex experience that affects the exercise of motherhood, producing suffering and vulnerability, as well as possibilities for emotional development. Solitude and freedom led these women to greater responsibilities, dedication, and attachment to their children, searching for personal autonomy. It was observed that mothers often have a furtherance network made up of family members, friends or neighbors, acting as important financial support, emotional and sharing care for their children. The study suggests the expansion of the holding possibilities of the psychosocial environment, through policies and assistance programs that support mothers, especially the less educated and the poorest. The need for other studies on the subject is emphasized, allowing a deeper understanding of the impacts of the marital separation on the experience of parents, mothers, and children in this context.
Keywords: Maternidade
Separação conjugal
Relações mãe-filho – Processos psicossociais
Maternity
Separate mothers
Marital separation
Mother-child relations – Psychosocial processes
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: PEREIRA, Valéria Brandão. Solidão e reinvenção: a experiência da maternidade após a separação conjugal. 2018. 124 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3158
Issue Date: 29-Jan-2018
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Solidão e reinvenção_ a experiência da maternidade após a separação conjugal.pdfSolidão e reinvenção: a experiência da maternidade após a separação conjugal1,1 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.