00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) ICS - INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/3155
Tipo: Dissertação
Título: Os Kalankó: memória da seca e técnicas de convivência com o Semiárido no Alto Sertão Alagoano
Autor(es): Silva, José Moisés de Oliveira
Primeiro Orientador: Amorim, Siloé Soares de
metadata.dc.contributor.referee1: Barros, Raquel Rocha de Almeida
metadata.dc.contributor.referee2: Silva, Roberto Marinho Alves da
Resumo: Esta pesquisa tem como objetivo analisar as técnicas de Convivência com o Semiárido e a memória da seca do povo indígena Kalankó, situado no município de Água Branca no Alto Sertão alagoano. Para isso se apresentam os paradigmas de Combate à Seca contrapostos ao de Convivência com o Semiárido, partindo das vivências inerentes ao grupo, o primeiro na composição das frentes de serviço da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) fundamentado nas memórias do grupo, e o segundo junto à Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA) e às técnicas e tecnologias que a justificam enquanto saída ao determinismo geográfico e biológico, observando de que forma os Kalankó lidam com as respectivas abordagens, observando a seca como estímulo à inventividade tecnológica, e considerando seu processo público de reafirmação étnica e a (re)construção de sua autoimagem relacionado à organização política do grupo. A pesquisa dispõe como campo da Antropologia Social e interage com bases metodológicas da etnografia, entrevistas, produção de mapas mentais ou imaginários, investigação bibliográfica e documental. As principais conclusões consistem em enxergar as especificidades do grupo, em relação às suas práticas/técnicas de Convivência com o Semiárido e suas memórias em relação à concepção de combate à seca, desde concepções agrícola, pecuária, à relação humano-animal e vegetal, genealógica, ritualística, cosmológica e etnobiológica, a partir da sua relação com o ambiente no qual estão inseridos e dialogam diretamente, resultando em sua organização política, se relacionando com grupos e sujeitos externos, criando estratégias para atender às demandas de índios que também são sertanejos, uma vez que o grupo partilha dessas fronteiras indentitárias.
Abstract: This research objective to analyze the techniques of Living with the Semi-Arid and the memory of the drought of the Kalankó indigenous people, located in the municipality of Água Branca in the high Sertão of Alagoas. To this end, the paradigms of Combating Drought are contrasted with that of Living with the Semi-Arid, starting from the inherent experiences of the group, the first in the composition of the service fronts of the Superintendency of Development of the Northeast (SUDENE) based on the group's memories. according to Articulation in the Brazilian Semi-Arid (ASA) and the techniques and technologies that justify it as a way out of geographic and biological determinism, observing how the Kalankó deal with the respective approaches, observing the drought as a stimulus to technological inventiveness and considering its process ethnic reaffirmation and the (re) construction of their self-image related to the political organization of the group. The research has as a field of Social Anthropology and interacts with methodological bases of ethnography, interviews, production of mental or imaginary maps, bibliographical and documentary research. The main conclusions are to see the specificities of the group, in relation to their practices , techniques of Living with the Semi-Arid and their memories in relation to the concept of combating drought, from agricultural conceptions, livestock, human-animal, genealogical, ritualistic , cosmological and ethnobiological, from their relationship with the environment in which they are inserted and directly dialogue, resulting in their political organization, relating to external groups and subjects, creating strategies to meet the demands of Indians who are also "sertanejos".
Palavras-chave: Índios da América do sul – Brasil
Índios Kalankó - Alagoas - Técnicas de convivência
Seca – 1980-1990 - Memórias
Semiárido - Alagoas
Dry - 1980-1990 - Memory
Coexistence techniques
Semi-arid - Alagoas
Indians of South America – Brazil
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::ANTROPOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Alagoas
Sigla da Instituição: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social
Citação: SILVA, José Moisés de Oliveira. Os Kalankó: memória da seca e técnicas de convivência com o Semiárido no Alto Sertão Alagoano. 2018. 134 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia social) − Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3155
Data do documento: 9-Abr-2018
Aparece nas coleções:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Os Kalankó_ memória da seca e técnicas de convivência com o Semiárido no Alto Sertão Alagoano.pdfOs Kalankó: memória da seca e técnicas de convivência com o Semiárido no Alto Sertão Alagoano6.89 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.