Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/2568
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Violência obstétrica: contradições do sistema de saúde nas políticas de humanização do parto
Other Titles: Obstetric violence: contradictions of the health system in policies of humanization of childbirth
metadata.dc.creator: Silva, Wanessa Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor1: Plancherel, Alice Anabuki
metadata.dc.contributor.referee1: Magalhães, Belmira Rita da Costa
metadata.dc.contributor.referee2: Moraes, Andréa Pereira
metadata.dc.description.resumo: Analisamos como a organização do trabalho na saúde, a partir da reestruturação produtiva capitalista, interfere no atendimento às mulheres que buscam assistência público-hospitalar para parir, culminando – entre outras determinações – na chamada violência obstétrica. Investigamos como as orientações oficiais e políticas públicas que intentam 'o parto humanizado' se contrapunham às reais condições de trabalho na atenção aos nascimentos. Encontramos como determinantes para a situação da violência contra as mulheres no parto: a divisão do trabalho centralizada no hospital; a objetificação do corpo feminino como mais uma 'mercadoria'; o escanteamento da atividade de enfermeiras obstétricas; e, por fim, a intensificação do trabalho médico, guiado pela exigência de atender mulheres em uma escala de produtividade industrial. Assim, os profissionais se valem de uma racionalização baseada no uso desmedido de tecnologias e de intervenções para agilizar o desfecho de seus trabalhos (o nascimento em si).
Abstract: We analyze how the organization of health care work, as from the capitalist productive restructuring, interferes in the care of women seeking public-hospital care to give birth, culminating - among other determinations – in the so-called obstetric violence. We investigate how the official guidelines and public policies that intend to promote 'the humanized birth' were opposed to the actual working conditions in the care of births. The determinants for the situation of violence against women in childbirth are: the division of centralized work at the hospital; the objectification of the female body as another 'commodity'; the despising of the activity of midwives; and, finally, the intensification of medical work, guided by the need to assist women in an industrialscale productivity. Thus, professionals make use of rationalization based on excessive use of technologies and interventions to make agile the outcome of their works (the birth itself).
Keywords: Violência obstétrica
Pessoal da área médica – Precarização do trabalho
Políticas públicas
Políticas de saúde
Mulheres – Parto
Obstetric violence
Medical personnel - Work precarization
Public policies.
Health policies
Women - Childbirth
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::SOCIOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Administração Pública em Rede Naciocial - PROFIAP
Citation: SILVA, Wanessa Oliveira. Violência obstétrica: contradições do sistema de saúde nas políticas de humanização do parto. 2015. 159 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Instituto de Ciências Sociais, Programa de Pós Graduação em Sociologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2015.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/2568
Issue Date: 6-Jul-2015
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - ICS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Violência obstétrica - contradições do sistema de saúde nas políticas de humanização do parto.pdfViolência obstétrica: contradições do sistema de saúde nas políticas de humanização do parto1,61 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.