Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/2467
metadata.dc.type: Dissertação
Title: O caminhar da pessoa cega: análise da exploração de elementos do espaço urbano por meio da bengala longa
Other Titles: The walking of the blindperson: analysis of the exploration of elements of urbanspacethrough the longcane
metadata.dc.creator: Assis, Diva Carolina Antas de
metadata.dc.contributor.advisor1: Toledo, Alexandre Márcio
metadata.dc.contributor.referee1: Cavalcante, Morgana Maria Pitta
metadata.dc.contributor.referee2: Batista, Juliana Oliveira
metadata.dc.contributor.referee3: Mosquera, Carlos Fernando França
metadata.dc.description.resumo: A maneira como os indivíduos cegos se deslocam a pé e percebem o espaço acontece diversamente a dos normovisuais. O ambiente urbano necessita ser projetado de forma a atender as necessidades peculiares de acessibilidade de pessoas com deficiência visual. Apesar da existência de normas técnicas brasileiras, que orientam a concepção de projetos visando a acessibilidade para melhor mobilidade de pessoas cegas, muitas ainda são as dúvidas acerca dessa projetação em contextos urbanos. O arquiteto e urbanista necessita compreender a forma de percepção e os mecanismos de deslocamento desse público, para lhe atender de forma satisfatória. Esta dissertação de mestrado em Arquitetura e Urbanismo objetiva analisar a relação entre a forma de exploração espacial pela pessoa cega, por meio de bengala longa em ambientes de contexto urbano. A pesquisa tem caráter qualitativo e aborda a relação pessoa-ambiente. Aplicou-se o método passeio acompanhado e entrevista estruturada com dois participantes voluntários cegos. A entrevista estruturada buscou apreender as dificuldades, facilidades e inseguranças encontradas pelos participantes no dia a dia enquanto transeuntes da cidade. Já no passeio acompanhado observaram-se percursos habituais dos participantes para compreender quais eram os elementos arquitetônicos, normalizados ou não, que favoreciam o seu caminhar. Constatou-se que os pisos táteis não são o principal recurso utilizado pelos participantes. Elementos como guia de balizamento, muros e contrastes mostraram se mais relevantes durante os percursos. Observou-se que a técnica de dois toques de deslocamento com a bengala longa não permite resposta tátil de texturas satisfatória ao usuário e que outros fatores podem estar associados ao não uso habitual dos pisos táteis. Conclui-se que outros elementos orientativos, como guias de balizamento, devem ser explorados em conjunto com os pisos táteis direcionais. Espera-se que esse estudo possa colaborar para que projetos de ambientes urbanos favoreçam mais a mobilidade e a acessibilidade de pessoas cegas usuárias de bengala longa.
Abstract: The way blind individuals move on foot and perceive space happens differently from that of the normovisuais. The urban environment needs to be designed to meet the unique accessibility needs of people with visual impairment. Despite the existence of Brazilian technical standards that guide the design of projects aiming at accessibility for better mobility of blind people, many are still doubts about this projection in urban contexts. The architect and urban planner needs to understand the way of perception and the mechanisms of displacement of this public, to serve him satisfactorily. This master's thesis in Architecture and Urbanism aims to analyze the relationship between the form of space exploration by blind person through long cane in the urban context environments. The research has a qualitative character and approaches the personenvironment relationship. The companion walk method and structured interview were applied to two blind volunteer participants. The structured interview sought to apprehend the difficulties, facilities and insecurities encountered by the participants on a daily basis as passersby of the city. Already on the guided tour, participants' habitual itineraries were observed to understand which were the architectural elements, normalized or not, that favored their walk. It was found that tactile floors are not the main resource used by the participants. Elements such as beaconing, walls and contrasts were more relevant during the course. It was observed that the technique of two displacement touches with the long cane does not allow a tactile textile response satisfactory to the user and that other factors may be associated to the habitual use of tactile floors. It is concluded that other guiding elements, such as beacon guides, should be explored together with the directional tactile floors. It is hoped that this study may contribute to projects in urban environments that favor mobility and the accessibility of blind people using long cane.
Keywords: Arquitetura – Orientação e mobilidade
Acessibilidade – Espaço urbano
Pessoa com deficiência visual
Architectural accessibility
Orientation and mobility
Visual impairment
Tactile floors
NBR 9050
NBR 16537
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ARQUITETURA E URBANISMO
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo
Citation: ASSIS, Diva Carolina Antas de. O caminhar da pessoa cega: análise da exploração de elementos do espaço urbano por meio da bengala longa. 2017. 189 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo: Dinâmicas do Espaço Habitado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/2467
Issue Date: 20-Dec-2017
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - FAU



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.