Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/1266
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Brincar é coisa de criança? Um retrato da produção acadêmica brasileira sobre o brincar
Other Titles: Playing is a development child? Academic production brasilian about playing
metadata.dc.creator: Mendonça, Zaira Rafaela Lyra
metadata.dc.contributor.advisor1: Leitão, Heliane de Almeida Lins
metadata.dc.contributor.referee1: Oliveira, Adélia Augusta Souto de
metadata.dc.contributor.referee2: Vilhena, Junia de
metadata.dc.description.resumo: A presente pesquisa teve como objetivo investigar e discutir como a temática do brincar é retratada na produção acadêmica brasileira, a partir de uma pesquisa bibliográfica. O brincar é visto como um tema complexo e se constitui como objeto de estudo interdisciplinar. Assim, objetivou ainda: realizar um levantamento bibliográfico acerca dos estudos sobre o brincar,caracterizando-os; identificar os enfoques teóricos adotados nas pesquisas investigadas; caracterizar como a produção acadêmica em Psicologia vem abordando o conceito do brincar, discutindo suas implicações; analisar e discutir os conceitos do brincar presentes nas produções investigadas à luz da teoria do brincar proposta por Donald Winnicott. Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica sobre o tema do brincar a partir de periódicos veiculados na base de dados Scielo Brasil. No intuito de contemplar um amplo número de produções referentes ao tema do brincar, foram utilizados, separadamente, seis descritores: brincar, brincadeira, brinquedo, jogo, lúdico e lúdica. O período adotado para a seleção dos artigos foi de 2007 a 2011. A seleção dos artigos obedeceu a uma técnica da pesquisa bibliográfica denominada de etapa de leitura. Na fase de leitura de reconhecimento do material foram capturados 478 artigos, representando o total de publicações existentes na plataforma do banco de dados relacionados aos descritores utilizados. As etapas seguintes consistiram de leitura exploratória e leitura seletiva, seguida de leitura reflexiva ou crítica, as quais levaram a uma redução de artigos, totalizando 184 artigos. Para cada um dos 184 artigos foi construído um quadro de roteiro de leitura contendo informações identificatórias da obra, como segue: título; autores; ano de publicação; revista e sua área de conhecimento; tipo de pesquisa, se qualitativa ou quantitativa; natureza da pesquisa, se empírica ou teórica; aporte teórico; metodologia; características da população estudada, como idade e contexto sociocultural; local de realização da pesquisa; o conceito do brincar (ou de outro descritor); e impressões iniciais da pesquisadora. Assim, houve uma quantificação dos artigos em função dos resultados emergidos desses elementos. Os resultados desta etapa evidenciam que a importância do brincar para o desenvolvimento infantil é inquestionável, muito embora os argumentos utilizados se apóiem em aportes teóricos diversos e sofram variação. A Psicologia se destaca como área do conhecimento que se preocupa com o brincar enquanto objeto de estudo em si mesmo. As pesquisas qualitativas despontam na preferência dos estudos sobre o brincar investigados. Do total de 184 artigos percebeu-se que houve uma drástica redução no número de artigos que se propuseram a estudar o brincar em si mesmo. Dentro do campo da Psicologia foram encontrados 22 artigos que apresentaram alguma proposta de definição do brincar, tornando-o objeto de estudo. Estes foram submetidos à última etapa de leitura, a leitura interpretativa. O método de análise do material foi baseado nos pressupostos da análise de conteúdo, criando-se categorias de análise a partir do material investigado. Percebeu-se que conceituar o brincar remete a duas configurações: uma mais preocupada com a definição em si e outra mais pautada na funcionalidade do brincar. O brincar aparece fortemente associado à experiência da criança, embora um único artigo aponte para a possibilidade de abordar este tema para além da infância. Em grande quantidade de artigos, o brincar é abordado e utilizado como instrumento de coletar dados, o que já aponta para uma concepção do brincar enquanto atividade natural da infância. Durante a sistematização das conceituações encontradas buscou-se uma aproximação com o conceito do brincar proposto por Winnicott. A grande contribuição e diferenciação de Winnicott na leitura dos dados foi sua concepção do brincar enquanto elemento constitutivo do desenvolvimento e da capacidade do indivíduo de existir.
Abstract: The present research aimed to investigate and discuss how the playing theme is portrayed in the Brazilian academic production, in a bibliographic research. Playing is seen as a complex subject and is constituted as an interdisciplinary object of study. Therefore, it is aimed: to conduct a bibliographic research on the studies about playing, characterizing them; identify the theoretical approaches adopted in the studies; characterize how the academic production in Psychology has been approaching the concept of playing, discussing its implications; analyze and discuss the concepts of playing that are present in the investigated productions based on the theory of playing proposed by Donald Winnicott. A bibliographic study was made on the playing theme using periodicals found in Scielo Brasil database. Aiming to contemplate a large number of productions on playing, it was used, separately, six describers or keywords: playing, play, toy, game, ludic and playful. The period used for the selection of the articles was from 2007 to 2011. The selection of the articles followed a bibliographical research technique named reading stage. In the first stage of reading the material, it was found 478 articles, representing the total of existing publications in the database platform that are related to the used keywords. The next stages consisted in exploratory and selective reading, followed by critical or reflexive reading, which lead to a reduction of the number of the articles, totalizing 184 articles. To each article it was build a chart containing a reading script including identifying information of the article, as such: title; authors; year of publication; name of the magazine and its field; type of research, if qualitative or quantitative; nature of the research, if empirical or theoretical; theoretical approach; methodology; characteristics of the studied population, such as age and sociological and cultural context; where the research took place; the playing concept; and initial impressions of the researcher. Thus, a quantification of the articles was made based on the emerging results from these elements. The results of this stage evidence that the importance of playing for the childhood development is unquestionable, although some arguments are based in different theoretical approaches and are variable. Psychology is highlighted as a scientific field which is concerned with playing as a study object itself. The qualitative researches are more frequent in the studies on playing that were investigated. For the last stage of the reading, interpretative reading, the articles linked to Psychology that had playing itself as their study object were selected. In this stage it was selected 22 articles that presented some definition of playing. The analysis method for the material was based in the content analysis, creating categories of analysis of the investigated material. It was noticed that conceptualizing playing consigns two configurations: one that is more concerned with the definition itself e another one more based on the functionality of playing. Playing appears strongly associated with the child's experience, although a single article points to the possibility of addressing this issue beyond childhood. In many articles, playing is discussed and used as a tool to collect data, which already points to a conception of playing as a natural activity in childhood. During the systematization of the concepts found, it was sought an approximation with the concept of playing proposed by Winnicott. The great contribution and differentiation of Winnicott in reading the data was his conception of playing as a constitutive element of the development and capacity of the individual to exist.
Keywords: Brincar
Psicologia - Produção acadêmica
Donald Winnicott - Teoria
Playing
Psychology - Academic production
Donald Winnicott - Theory
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: MENDONÇA, Zaira Rafaela Lyra. Brincar é coisa de criança? Um retrato da produção acadêmica brasileira sobre o brincar. 2013. 115 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2013.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/1266
Issue Date: 19-Apr-2013
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Brincar e coisa de crianca um retrato da producao academica brasileira sobre o brincar.pdf829,63 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.