Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/1234
metadata.dc.type: Dissertação
Title: Alterações nas funções executivas, impulsividade e agressividade em indivíduos dependentes de crack
Other Titles: Impairments in executive functions, impulsiviness and agressiviness in crack dependents
metadata.dc.creator: Teixeira, Vanina Papini Góes
metadata.dc.contributor.advisor1: Póvoa, Raner Miguel Ferreira
metadata.dc.contributor.referee1: Cunha, Paulo Jannuzzi
metadata.dc.contributor.referee2: Coelho, Jorge Artur Peçanha de Miranda
metadata.dc.description.resumo: Apesar do uso de crack ser atualmente um dos principais problemas de saúde pública, são poucos os dados científicos acerca dos prejuízos no funcionamento executivo e interferências sobre o comportamento impulsivo e agressivo decorrentes da exposição a essa substância psicoativa. Esta pesquisa teve o objetivo de avaliar a existência de déficits nas funções executivas tanto em usuários crônicos de crack, como também em ex-usuários após um período mínimo de sessenta dias de abstinência, comparando-os com controles saudáveis. Procurou-se ainda identificar os níveis de impulsividade e agressividade nos indivíduos que fizeram uso de crack. Foi realizado um estudo quantitativo, de natureza quase-experimental. Para tanto, foi aplicado um questionário sociodemográfico que permitiu a identificação do sujeito e o padrão de consumo do crack, posteriormente foi realizada a avaliação neuropsicológica, que permite a identificação do desempenho nas escalas que investigam as funções executivas, e em continuidade a avaliação dos níveis de impulsividade e agressividade. Foram utilizados instrumentos padronizados, sendo eles o BETA-III (estimativa de QI), o BAI (avaliação de ansiedade), o BDI (avaliação de depressão), a escala de BROWN (avaliação de déficit de atenção), o BIS-11 (avaliação de impulsividade), o questionário de BUSS-PERRY (avaliação de agressividade), o Stroop Test (avaliação de atenção, controle inibitório e flexibilidade), o WCST (avaliação de flexibilidade) e o IGT (avaliação de tomada de decisão). Foram avaliados 102 sujeitos, divididos em três grupos distintos com distribuição harmônica, sendo o grupo G1 formado por 34 usuários de crack, o grupo G2 formado por 34 usuários de crackem abstinência e o grupo G3, formado por 34 controles. Os sujeitos foram pareados por idade, anos de escolaridade, nível socioeconômico e QI. Osdependentes de crack, grupo G1, obtiveram desempenho pior que os ex-usuários (p<0,05) e do que os controles (p<0,05) na avaliação das funções executivas, e níveis mais elevados de impulsividade e agressividade; os sujeitos do grupo G2 apresentaram piorperformance nas avaliações realizadas em relação aos sujeitos do grupo controle, G3,porém melhor do que os do grupo de usuários, G1. Os resultados indicam que o consumo de crack está relacionado a déficits nas funções executivas, além de interferirem nos elevados níveis de impulsividade e agressividade, problemas associados às regiões pré-frontais. A identificação dos prejuízos neuropsicológicos, bem como do comportamento impulsivo e agressivo de indivíduos com experiência com o crack podem auxiliar na elaboração de programas de tratamento com maior efetividade, diminuindo, assim, as altas taxas de não adesão ao tratamento e as elevadas taxas de recaídas destes indivíduos.
Abstract: Even though crack use is nowadays a major public health problem, there is a few scientific data about executive functioning déficits and interferences on impulsive and aggressive behavior of the exposure to the psychoactive substance. The aim of this research was to evaluate the existence of deficits in executive functions in crack users and in ex-users, in abstinence for sixty daysat least, after a minimum period of sixty days of abstinence compared to healthy controls. We also tried to find out to identify the levels of impulsivity and aggression in individuals who used crack. It was conducted a quantitative quasi-experimental study. Thus, a sociodemographic questionnaire was applied that allowed the identification of the subject and the crack’s standard use, after that the neuropsychological assessment was administered, which enables the identification of performancein scales investigating executive function, then the levels impulsiveness and aggression assessment. Was used standardized instruments, including the BETA-III (estimated IQ), BAI (anxiety assessment), the BDI (for depression assessment), the BROWN’s scale (assessment of attention deficit), the BIS-11 (evaluation of impulsivity), the questionnaire BUSS-PERRY (assessment of aggressiveness), the Stroop Test (evaluation of attention, inhibitory control, and flexibility), the WCST (evaluation of flexibility) and IGT (evaluation of decision making). The instruments were administered to 102 subjects divided into three distinct groups with harmonic distribution, the G1 group was formed by 34 crack users, the G2 group by 34 abstinents crack users and the G3 group, formed by 34 controls. The subjects were matched for age, years of education, socioeconomic status and IQ. The subjects of G1 group, the crack’s users, performed worse than ex-users (p <0.05) and than controls (p <0.05) in the executive functioning assessment and higher levels of impulsivity and aggression; subjects from group G2 performed worse than subjects in the control group, G3, but better than the crack user group, G1. The results indicate that crack use is associated with deficits in executive functions, and has interference in high levels of impulsivity and aggression, problems associated with prefrontal brain regions. Identification of neuropsychological impairments, as well as the impulsive and aggressive behavior in individuals with experience with the crack may be useful for developing more effective treatment programs, thus reducing the high levels of non-adherence to treatment and high relapses rates.
Keywords: Agressividade
Psicologia
Avaliação neuropsicológica
Crack
Drogas
Funções executivas
Impulsividade
Dependentes químicos
aggression
neuropsychological assessment
executive functions
impulsiveness
metadata.dc.subject.cnpq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
metadata.dc.language: por
metadata.dc.publisher.country: Brasil
Publisher: Universidade Federal de Alagoas
metadata.dc.publisher.initials: UFAL
metadata.dc.publisher.program: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Citation: TEIXEIRA, Vanina Papini Góes. Alterações nas funções executivas, impulsividade e agressividade em indivíduos dependentes de crack. 2014. 100 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2014.
metadata.dc.rights: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/1234
Issue Date: 5-Dec-2014
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IP

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Alteracoes nas funcoes executivas impulsividade e agressividade....pdf2,69 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.