00 CAMPUS ARISTÓTELES CALAZANS SIMÕES (CAMPUS A. C. SIMÕES) ICHCA - INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, COMUNICAÇÃO E ARTES TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - GRADUAÇÃO - ICHCA Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) - Graduação - HISTÓRIA - ICHCA
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.repositorio.ufal.br/jspui/handle/riufal/5271
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: O processo fotográfico excludente do negro em Alagoas: composição de uma ideologia sem preto (1890-1920)
Autor(es): Silva, Rogério Alexandre da
Primeiro Orientador: Carvalho, Flávia Maria de
metadata.dc.contributor.referee1: Palamartchuk, Ana Paula
metadata.dc.contributor.referee2: Baumgarten, Lídia
Resumo: O presente trabalho busca analisar, compreender e problematizar a fotografia do negro no final do século XIX e início do XX em Alagoas. Analisando seus usos como fonte histórica e construção social da imagem do negro no imaginário dos receptores dessas fotografias. Buscase entender como o negro é retratado no período estudado, bem como discutir sua presença/ausência nesses recortes fotográficos. A partir do conceito de imagem técnica de Flusser, discute-se a fotografia como produto idealizado e carregado de ideologia da classe dominante. Para isso fez-se análises nas fotografias resgatadas nos arquivos públicos físicos e digitais de Alagoas, desenvolvendo reflexões a partir dessas imagens em consonância com a historiografia do negro, para tentar entender o lugar deste, na sociedade alagoana. Dessa forma pretende-se discutir no trabalho como o negro era fotografado no período estudado, buscando vestígios de seus signos e sinais nessas imagens técnicas. Para isso procurou-se implementar o método do paradigma indiciário de Carlo Ginzburg, aliado a outras metodologias descritas no trabalho. Partindo destas questões pretende-se entender como a imagem do negro foi construída no pós-abolição. Nesse sentido, pretende-se levantar discursões sobre o uso da fotografia como fonte histórica, procurando trata-la como produção ideológica dominante, carregada de sentidos, simbologias, feitas para programar quem as vê. Estudar estas imagens levou-nos a compreender que o negro no pós-abolição continuou, pelo menos nas fotografias resgatadas, retratados como seres residuais. Percebe-se que a técnica fotográfica em Alagoas não difere muito de outras regiões do país. O negro alagoano no período estudado é por muitas vezes silenciado/apagado da fotografia. Sua imagem não cabe na caixa preta. Mas, entende-se que sua resistência e protagonismo histórico são tão fortes e reais, que mesmo sem ser assunto principal, ao reprogramarmos nosso olhar podemos ver seus sinais de resistência.
Abstract: The present work seeks to analyze, understand and problematize black photography in the late nineteenth and early twentieth centuries in Alagoas. Analyzing its uses as historical source and social construction of the image of the black in the imaginary of the receivers of these photographs. It seeks to understand how black is portrayed in the studied period, as well as to discuss its presence/absence in these photographic cuts. From Flusser concept of technical image, photography is discussed as an idealized and ideological product of the ruling class. For this purpose, the photographs were retrieved in the public physical and digital archives of Alagoas, developing reflections from these images in consonance with the historiography of the Negro, to try to understand the place of this, in the society of Alagoas. In this way it is intended to discuss in the work how the black was photographed in the studied period, searching for traces of its signs and signals in these technical images. For this purpose, we tried to implement Carlo Ginzburg's method of the indiciary paradigm, together with other methodologies described in the paper. From these questions we intend to understand how the image of the Negro was built in post-abolition. In this sense, it is intended to raise discourses about the use of photography as a historical source, trying to treat it as a dominant ideological production, loaded with meanings, symbologies, made to program who sees them. Studying these images led us to understand that the Negro in post-abolition continued, at least in the rescued photographs, portrayed as residual beings. It is noticed that the photographic technique in Alagoas does not differ much of other regions of the country. The black Alagoas in the studied period is often silenced/erased from the photograph. Your image does not fit in the black box. But, it is understood that its resistance and historical protagonism are so strong and real, that even without being the main subject, by reprogramming our gaze we can see its signs of resistance.
Palavras-chave: Negro
Fotografia
Imagem técnica
Alagoas
CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::HISTORIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Federal de Alagoas
Sigla da Instituição: UFAL
metadata.dc.publisher.department: Curso de História
Citação: ROGÉRIO, Alexandre da Silva. O processo fotográfico excludente do negro em Alagoas: composição de uma ideologia sem preto (1890-1920). 2019. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) - Instituto de Ciências Humanas, Comunicação E Artes, Curso de História, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/5271
Data do documento: 23-out-2018
Aparece nas coleções:Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) - Graduação - HISTÓRIA - ICHCA

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
O processo fotográfico excludente do negro em Alagoas: composição de uma ideologia sem preto (1890-1920).pdf1.43 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.