Please use this identifier to cite or link to this item: http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3419
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisor1Freitas, Lucas Cordeiro-
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9607932972038616pt_BR
dc.contributor.referee1Fernandes, Sheyla Christine Santos-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3423356737122965pt_BR
dc.contributor.referee2Sá, Lucas Guimarães Cardoso de-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/8479886684573199pt_BR
dc.creatorAndrade, Mariana de Almeida-
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/4749530820081830pt_BR
dc.date.accessioned2018-10-23T14:55:46Z-
dc.date.available2018-10-17-
dc.date.available2018-10-23T14:55:46Z-
dc.date.issued2018-05-21-
dc.identifier.citationANDRADE, Mariana de Almeida. Relação entre acidente vascular cerebral e habilidades sociais em adultos. 2018. 87 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3419-
dc.description.abstractStudies have pointed out an increasing number of individuals affected by brain lesions, having in these frames several origins, one of them being the interruption of the vascular system. Among acquired brain lesions Cerebral Vascular Accident (CVA) is considered a public health problem that deserves a lot of attention, as it presents, among other factors, the compromise of social skills. The present study aimed to investigate the relationship between stroke and social skills deficits in adults, as it would allow the construction of training strategies to promote a better coexistence between injured and family members, helping to alleviate the deficits associated with such lesions and in the quest for greater independence and quality of life. A total of 100 individuals, aged between 18 and 59 years, of whom 50 were being treated at the Associação Pestalozzi de Maceió (7) and the Associação dos deficientes físicos de Alagoas (ADEFAL) (43) were included in group 1 (with a history of stroke) and 50 individuals were students of the Youth and Adult Education (EJA), nocturnal period of the Escola Estadual Deputado Nenoí Pinto, who composed group 2 (no history of stroke). The instruments used were an anamnesis, the Mini Exame do Estado Mental (MEEM) and the Inventário de Habilidades Sociais (IHS-Del-Prette). The results showed a high percentage of individuals with a history of stroke who were classified as Good Repertoire of Social Skills (Below average), with a greater impairment in the ability to approach unknown people. The comparison of the social skills repertoires between the groups suggests that the participants with stroke showed to have more elaborate repertoires of social skills than the participants without stroke. The results did not indicate, in general, indications of deficit repertoires of social skills as a whole. The results also indicate that the participants' cognitive status was not related to their social skills repertoire. These results highlight the importance of studies aimed at the elaboration of specific social skills instruments of individuals suffering from strokept_BR
dc.description.provenanceSubmitted by Valter Andrade (valterriufal.sibi@gmail.com) on 2018-10-17T17:24:51Z No. of bitstreams: 1 Relação entre acidente vascular cerebral e habilidades sociais em adultos.pdf: 1147891 bytes, checksum: 269f97bf22fd88b407e35253dbbfa49b (MD5)en
dc.description.provenanceApproved for entry into archive by Valter Andrade (valterriufal.sibi@gmail.com) on 2018-10-23T14:55:46Z (GMT) No. of bitstreams: 1 Relação entre acidente vascular cerebral e habilidades sociais em adultos.pdf: 1147891 bytes, checksum: 269f97bf22fd88b407e35253dbbfa49b (MD5)en
dc.description.provenanceMade available in DSpace on 2018-10-23T14:55:46Z (GMT). No. of bitstreams: 1 Relação entre acidente vascular cerebral e habilidades sociais em adultos.pdf: 1147891 bytes, checksum: 269f97bf22fd88b407e35253dbbfa49b (MD5) Previous issue date: 2018-05-21en
dc.description.sponsorshipCAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superiorpt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal de Alagoaspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapt_BR
dc.publisher.initialsUFALpt_BR
dc.rightsAcesso Embargadopt_BR
dc.subjectHabilidades sociais – Adultospt_BR
dc.subjectAcidente vascular cerebralpt_BR
dc.subjectCompetência socialpt_BR
dc.subjectProcessos cognitivospt_BR
dc.subjectMedidas psicológicaspt_BR
dc.subjectSocial skills – Adultspt_BR
dc.subjectStrokept_BR
dc.subjectSocial Competencept_BR
dc.subjectCognitive Processespt_BR
dc.subjectPsychological measurespt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIApt_BR
dc.titleRelação entre acidente vascular cerebral e habilidades sociais em adultospt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.description.resumoEstudos têm apontado um crescente número de indivíduos acometidos por lesões encefálicas, existindo nesses quadros várias origens, sendo uma delas a interrupção do sistema vascular. Dentre as lesões encefálicas adquiridas o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é considerado um problema de saúde pública que merece bastante atenção, por apresentar como consequência, entre outros fatores, o comprometimento de habilidades sociais. O presente estudo teve como objetivo investigar a relação entre AVC e déficits nas habilidades sociais em adultos, na medida em que possibilitariam a construção de estratégias de treinamento para promoção de uma melhor convivência entre indivíduos lesionados e familiares, auxiliando na atenuação dos déficits associados a tais lesões e na busca de maior independência e qualidade de vida. Foram entrevistados 100 indivíduos, com idades entre 18 e 59 anos, dos quais 50 estavam em tratamento nas instituições especializadas em reabilitação Associação Pestalozzi de Maceió (7) e Associação dos deficientes físicos de Alagoas (ADEFAL) (43) que compuseram o grupo 1 (com histórico de AVC) e 50 indivíduos eram estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), período noturno da Escola Estadual Deputado Nenoí Pinto, que compuseram o grupo 2 (sem histórico de AVC). Os instrumentos utilizados foram uma anamnese, o Mini Exame do Estado Mental (MEEM) e o Inventário de Habilidades Sociais (IHS-Del-Prette). Os resultados mostraram que uma porcentagem elevada dos indivíduos com histórico de AVC se posicionaram na classificação Bom repertório de Habilidades Sociais (Abaixo da média), com um maior comprometimento na habilidade relacionada à abordagem de pessoas desconhecidas. A comparação dos repertórios de habilidades sociais entre os grupos, sugerem que os participantes com AVC demonstraram possuir repertórios de habilidades sociais mais elaborados que os participantes sem AVC. Os resultados não indicaram, de forma geral, indícios de repertórios deficitários de habilidades sociais como um todo. Os resultados indicam também, que o estado cognitivo dos participantes não se relacionou com o repertório de habilidades sociais desses. Esses resultados salientam a importância de estudos que tenham por objetivo a elaboração de instrumentos específicos de habilidades sociais de indivíduos que sofreram AVC. Palavraspt_BR
Appears in Collections:Dissertações e Teses defendidas na UFAL - IP



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.